16 de dezembro de 2018
                 
     
                         
Lázaro Freire, Acid0 e Lobão na MTV: Daime é droga ou religião?
Psicanálise Transdisciplinar em SP com Lázaro Freire
Seja um colaborador ativo da Voadores!
Cursos e palestras da Voadores em sua cidade
Mensagem de Wagner Borges
Mais novidades

 
  

Colunas

>> Colunistas > Convidados

VEJA 3/3 - Glauco e Raoni: Crescem as contradições
Publicado em: 17 de março de 2010, 01:47:39  -  Lido 3150 vez(es)



Blog

Reinaldo Azevedo

GLAUCO E RAONI: CRESCEM AS CONTRADIÇÕES

segunda-feira, 15 de março de 2010 | 5:53

Impressionante a agressividade de alguns comentários por conta dos dois posts que escrevi sobre o assassinato do cartunista Glauco e de Raoni, seu filho. Impressiona porque estou me limitando a apontar algumas contradições numa história trágica, mas cujo enredo poderia ser muito simples. Alguns também estão furiosos porque contestei, e o farei de novo — não tentem me intimidar com correntes de opinião porque isso nunca funciona — que o daime seja uma “doutrina cristã”.

Há dois líquidos que podem fazer parte de narrativas cristãs: água e vinho. Fora disso, é invenção sem lastro histórico. A liberdade de expressão garante que as pessoas chamem o que bem entenderem de “cristianismo”. Um mínimo de rigor dirá que afirmar que o daime é uma “doutrina cristã” é uma bobagem.

CONTRADIÇÕES
Começo pela questão mais importante no momento, que é descobrir, afinal de contas, o que aconteceu, com a conseqüente punição do assassino. As contradições vão se avolumando.

1 - O advogado - A primeira e mais óbvia atende pelo nome de Ricardo Handro, advogado de Glauco. Ele tem de vir a público para explicar por que concedeu uma entrevista afirmando que se tratava de uma ação de bandidos comuns. A imprensa quer fazer de conta que isso não aconteceu e dar um chá de sumiço no rapaz? É uma vergonha que aja assim. Ontem, no Fantástico, “Madrinha Bia”, mulher de Glauco, deu a sua versão dos acontecimentos. Quando Handro concedeu a sua entrevista, certamente já havia falado com a viúva. Foi a polícia que descobriu que Cadu, o assassino, era um “conhecido da família”.

2 - O acompanhante - Eu havia estranhado que alguém em surto, dizendo-se Jesus, conseguisse arrastar um parceiro em sua maluquice. Ontem, Felipe de Oliveira Iasi, que acompanhou Cadu à casa de Glauco, apresentou-se à Polícia. Segundo Bia, ele não parecia “muito normal porque estava com o olho muito arregalado, sabe?”. Sei. A viúva diz que ele assistiu a tudo, impassível, sentado no sofá. E que saiu de lá em companhia do assassino.

3 - Onde ficou Felipe? - O advogado de Felipe afirma que não foi assim. Seu cliente teria ficado no carro e deixado o local antes de saber do duplo homicídio. Vamos ver: o rapaz é coagido pelo amigo, ameaçado por uma pistola, a conduzi-lo até a casa do cartunista. Tão logo o surtado desce do carro, Felipe, em vez de ir embora e chamar a polícia, preferiu ficar por ali, dando um tempo…

4 - A versão de Juliana - O curioso é que, segundo o delegado Archimedes Cassão Veras Júnior, Juliana, enteada de Glauco e filha de “Madrinha Bia”, endossa, nesse particular, a versão de Felipe, não a da mãe. A moça foi ouvida na sexta-feira.

5 - Ser ou não Jesus - desde que ficou evidente que a versão inicial do advogado Handro era falsa, todos só concordam numa coisa — e essa coisa não deixa de ser, diante da Justiça, FAVORÁVEL A CADU: ele seria meio maluco. Até o depoimento de “Madrinha Bia” caminha por aí. Passou-se a noticiar a versão de que o rapaz queria que Glauco asseverasse a sua mãe que ele era “Jesus”. Diz Bia ao Fantástico:
“Ele queria que o Glauco afirmasse que ele era o poderoso. Aí eu mesma afirmei que ele era Jesus. Eu falei: ‘não, pra mim você é Jesus’. O Glauco em nenhum momento afirmou”.

6 - Encontro de versões - Atenção para um detalhe que parece sutil, mas que pode se tornar central. Notem que, então, essa história de que o rapaz era Jesus foi uma tentativa da “Madrinha Bia” de aplacar o surto de Cadu — não teria partido dele próprio. Segundo o advogado de Felipe, no entanto, quando seu cliente foi rendido, o outro já se dizia “Jesus”. Não lhes parece que há o risco de estarmos diante de uma espécie, assim, de encontro de versões?

7 - Conveniência - Tenho algumas hipóteses e dúvidas, como todo mundo. De uma coisa, no entanto, EU JÁ NÃO DUVIDO MAIS. Caracterizar Cadu como maluco tornou-se  conveniente para todo mundo: 1) para a igreja Céu de Maria; 2) para o acompanhante Felipe; 3) para o próprio assassino.

PATRULHA
E agora falarei um pouco da patrulha. Cada um, reitero, chame de “cristão” o que bem entender. Eu me dou o direito de discordar. Não custa lembrar que o nome da igreja de Glauco,  ”Céu de Maria”, não é exatamente uma homenagem à mãe do Cristo, à Imaculada. Segundo apurei — e parece ser notório —, é uma referência à “Santa Maria”, nome como é conhecida a maconha para, vá lá, uso ritualístico. Sua igreja pertencia a uma dissidência que passou a incorporar essa erva nas cerimônias: como, em que condições e para quem, bem, isso, confesso, não sei nem me interessa.

Na Internet, há um intenso debate sobre distorções a que o daime original teria sido submetido. Confesso que acho esse debate aborrecido porque fica parecendo uma guerrinha de religiões. O que acho preocupante, aí sim — e se torna um assunto de saúde pública —, é que substâncias psicoativas sejam usadas em cerimônias religiosas, eventualmente atraente a jovens, sem, parece-me, uma abordagem criteriosa.

Comecei a ter crises de pânico em 1986, antes de a doença virar arroz de festa nas igrejas pentecostais eletrônicas — que atribuem a coisa a manifestações do capeta. Curei, ou controlei (estou sem ela há uns 10 anos), a minha doença com antidepressivos. Os vigaristas prometem resolver tudo com o dízimo… À época, a coisa era de diagnóstico difícil; os médicos tinham receio de abraçar essa abordagem. Tive sorte.

A primeira recomendação do médico que passou a cuidar de mim: “Se você fuma maconha, pare;  está provado que ela precipita crises de pânico”. Eu não fumava. Mas me surpreendi que algo tido como “inofensivo” (nunca acreditei nisso) pudesse estar associado a uma doença tão terrível. Até hoje, há quem confunda Síndrome do Pânico com medo de avião ou de barata… É um troço devastador.

Não é segredo para ninguém que o daime está atraindo viciados em drogas, que encontrariam nos cultos — e os jornais andaram publicando testemunhos — uma chance de se livrar do vício. Durante um bom tempo, a religião ficou restrita a um círculo de iniciados. Passou pela fase da glamorização, com a adesão de artistas e de descolados (seria a nossa “cientologia do cipó?”), e está começando a se popularizar. Segundo o testemunho de uma fotógrafa, publicado na Folha, administra-se a bebida também a bebês em cerimônias de batismo.

Não vou debater a metafísica do daime e seu impressionante sincretismo. O que acho preocupante nessa história não é o alcance teórico da teologia, mas a ainda ignorância do alcance químico desta particularíssima eucaristia.

E só para encerrar: não estou satanizando pessoas ou religiões. Estou exercendo o meu direito de expor estranhamentos. Acho que eles colaboram para que a morte de Glauco e a de Raoni não terminem sem culpados.

166 comentários em “GLAUCO E RAONI: CRESCEM AS CONTRADIÇÕES”

  1. opinião disse:

    Geralmente os consumidores de maconha adoram morar em lugares distantes…no mato mesmo. E quando formam seus “clãs’, para adentrar é precisso alguma “senha”de acesso. Indicação de uma amigo..etc O fato é: houve um crime. Motivo até o momento com várias especulações, a grande maioria a meu ver, desconexas. Se eu vivo dizendo a alguem que sou Jesus e este não rebate e ainda tenho a confianç de pedir sua ajuda a convencer a minha màe é porque ele também é doido. Um doido adquirindo confiança em outro. Esta história está faltando…algo não convence.

  2. mesma_opinião disse:

    Geralmente os consumidores de maconha adoram morar em lugares distantes…no mato mesmo. E quando formam seus “clãs’, para adentrar é precisso alguma “senha”de acesso. Indicação de uma amigo..etc O fato é: houve um crime. Motivo até o momento com várias especulações, a grande maioria a meu ver, desconexas. Se eu vivo dizendo a alguem que sou Jesus e este não rebate e ainda tenho a confianç de pedir sua ajuda a convencer a minha màe é porque ele também é doido. Um doido adquirindo confiança em outro. Esta história está faltando…algo não convence.

  3. Luiz disse:

    M.Rei não entendi:

    Eles fumam a droga enqto bebem o chá???
    Ou já vem tudo lá do Acre misturado no chá???
    Ou misturam aqui???

    A resposta disto pode ajudar a indicar o motivo do crime…

  4. Beto disse:

    Muito bom o artigo de Olavo de Carvalho, desta segunda feira, dia 15, como o colega Robert - março 15, 2010 às 5:18 pm - recomendou:

    http://www.olavodecarvalho.org/semana/100315dc.html

  5. anonimo disse:

    Pra mim, ele acabou colhendo aquilo que plantou. Estava lendo a matéria da Veja essa semana, e pensei “já ouvi essa história antes” !
    Amigos meus frequentaram o Céu de Maria por algum tempo, uns acabaram abandonando a doutrina por conta própria pois estavam ficando doidos, talvez pela grande mistura de daime e maconha, outros resolveram continuar e não tiveram um final feliz. Meu amigo pessoal teve a mesma história do cara que matou ele, tinha certeza de que era Jesus, nunca teve apoio da igreja, nunca ninguém disse pra ele “cara, vc ta viajando”, o fim foi que ele não aguentou e acabou se suicidando, devido tamanha confusão mental que se formou na cabeça dele.

  6. RM disse:

    Opa, escrevi um comentário no seu post mais recente sobre o assunto, mas não tinha lido este ainda. Perfeito, Reinalo! Conseguiu listar as principais contradições… e olha que não é tarefa fácil, pois há muitas.

    E quem se diz tão religioso deve ser devoto, antes de tudo, da verdade. Que ela apareça, então.

    (Atualização: Ricardo Handro, advogado de Glauco, agora descobriu mais um alvo do assassino, uma testemunha que estava na casa. A história começou com oito tiros e já chegou nos vinte e cinco… haja munição)

  7. Pequeno Poente disse:

    Alguns esclarescimentos: O chá de ahyuaska é feito de duas plantas naturais. O cipó Jagube, e a planta Chacrona, da família das rubiáceas, prima do café.
    É considerado como patrimonio da humanidade, herança cultural ancestral e religiosa dos povos indigenas. O homem branco tirou-lhes as terras, a dignidade, apagou seus costumes e linguas ancestrais, os escravizou,dizimou, e trouxe-lhes doenças modernas e a cachaça no lugar do chá. O homem moderno, destrói as florestas , polui rios, oceanos, e o ar por onde passa. O homem branco ( colonizados, escravos do dinheiro) se esqueceu que a maioria dos remédios veio da natureza.

    Nao tem planta do mal, tem sim quem as use mal

  8. Yuri Brandão/Maceió disse:

    Caro Azevedo:

    Você diz: “Notem que, então, essa história de que o rapaz era Jesus foi uma tentativa da ‘Madrinha Bia’ de aplacar o surto de Cadu — não teria partido dele próprio”.

    A tentativa de Bia de fato foi aplacar o surto de Cadu – para que, ouvindo ser Jesus, se sentisse mais calmo –, mas a história de que o rapaz era Jesus partiu dele sim.

    Questão lógica: Bia só afirmou ser ele Jesus porque ele estava querendo ouvir isso (de Glauco) — ou seja, partiu dele (Cadu) próprio a história de ser Jesus.

    Quanto à síndrome do Pânico, trata-se de algo MUITO RUIM mesmo, você tem razão. Minha mãe a teve há uns 5 anos e, agora, apresenta sintomas novamente — e em paralelo com a menopausa!

    Abs!

  9. Raskol disse:

    Eles criticam Reinaldo, porque o blog deixou as vísceras do crime às escâncaras.
    Agora a polícia vai ter de investigar e a justiça terá de fazer sua parte

    Que pena que nas mortes de Celso Daniel e Toninho não houvesse um blog popular como este fazendo as perguntas que ninguém quer fazer, mas que não querem calar. Talvez a polícia e a justiça fossem mais eficientes e tivesse mais à vista o interesse público, pondo na cadeia os mandantes dos assassinatos.

    Continue assim Reinaldo. Você se tornou leitura obrigatória, até para os inimigos figadais.

  10. DRP disse:

    Para aumentar o estranhamento:
    1) dificilmente o louco vai questionar seu delírio. Quando ele diz que “quer tirar a teima se recebeu a mensagem ou se está louco” ele abre espaço para duvidar do delírio, o que não é próprio na loucura e
    2) por que ele fugiu? Se ele tem consciência do crime - e deve ter, senão não fugiria tanto - há que se questionar esta história de surto. Ou manteria o discurso da mensagem, sem fugir.

  11. Sherlock disse:

    Rei,

    Seu médico, claro, estava corretíssimo!
    Provei maconha uma vez só na vida (não vou nem tentar me justificar) e o fato é que tive uma síndrome do pânico terrível - por pouco, muito pouco mesmo, não cometi suicídio. É sério! E olha que nunca tinha tido essa síndrome antes.

    Entendo que as pessoas podem ter reações diferentes a uma mesma substância. Mas de algumas coisas é melhor manter distância.
    Tenho amigos que freqüentam eventualmente o ritual do daime. Outros usam maconha vez ou outra.

    De minha parte, prefiro ficar longe de ambos.

    Ah! e nunca voltei a ter a tal síndrome (felizmente!).
    Fica o recado pra quem acha a maconha inofensiva e defende seu uso generalizado.

  12. Quezia Moura disse:

    Concordo em parte com você.Já tomei daime e o que tenho a dizer é que funciona como uma religião a mais aqui nos confins tumpininquins.Porém há alguns equívocos e equivocados, como em todas as agregacões religiosas.Acredito que há uma boa parte dos “tomadores” de daime que usam a bebida para fins viajantes, porque a possibilidade de uma viagem psicodélica é inegável,em se falando de uma substância existente na bebida que já é conhecida pelas pesquisas como dimetiltriptamina (DMT).
    Tomei pela curiosidade e pensando em curar uma depressão recorrente em minha vida.Sofri com mal estar, pressão baixa, sensacão de morte eminente, vômitos, diarréia,potencializacão da depressão.É isso!

  13. Humberto Caselli disse:

    Se o maluco fumou um beck além de tomar um chá (em resumo, DEU UM TAPA NA PANTERA), vai saber.

    Mas esse trem de “iluminação” aí é coisa pra se fazer lá no mato, onde não tem 38 nem 12 pra pipocar em quem se queira. No mato, você toma o daime e vai pra floresta, vê a onça rosa e boa.

    Aqui na cidade é perigoso demais lidar com coisas deste naipe, na minha modesta opinião.

  14. lLu.moraes disse:

    Essa historia toda ta me parecendo:quem mexe com fogo acaba se queimando.Santo Daime e o baralho,ta todo mundo doido.Diante desse mundo de maluquices não posso deixar de lembrar do meu amado pai e dizer +perolas saidas daquela cabeça tão simples e tão verdadeira:ESSE POVO TA PRECISANDO E DE SERVIÇO.

  15. jungle disse:

    Sobre o engodo da “experiência religiosa através das drogas” há a palestra de Alan Watts intitulada “Turning the Head (on Drugs).”

  16. jungle disse:

    Sobre o engodo da “experiência religiosa através de drogas” há a palestra de Alan Watts denominada “Turning the Head (on drugs)”.

  17. Kaue disse:

    Sabios são os Indigenas da Amazonia, que usam essa bebida em seus rituais, desde os primórdios de sua existência no Continente Americano e vivem na mais perfeita paz com a natureza, com suas crendices e com seu povo.

  18. CEKA disse:

    Não se espantem com o comportamento do advogado. A profissão, para muitos deles, é isso mesmo: mentir a favor do cliente. O que o cliente mandar, se pagar, ele faz. Sabe a piada americana? “qual é a semelhança entre um advogado e um espermatozóide? é que, dentre milhares, um deles vai se tornar gente”. A propósito, porque o Márcio Thomaz Bastos, um criminalista, vai ajudar a organizar a campanha da Dilmá? Prevenção? Premonição? Santo Daime, Batman!!!

  19. DORA disse:

    JÁ TOMEI CHÁS ALUCINÓGENOS E, HOJE, SEI QUE SUBSTÂNCIAS ALUCINÓGENAS - COMO A PSILOCIBINA, POR EXEMPLO - NÃO SÃO PARA QUALQUER UM. ESTUDOS DE SEUS IMPACTOS NA VIDA DOS USUÁRIOS AINDA NÃO SÃO CONCLUSIVOS, PRINCIPALMENTE NO QUE SE REFERE A ALTERAÇÕES PSICOLÓGICAS. O QUE SE PODE DIZER, ENTÃO, DO FATO DE SE GENERALIZAR OS RESULTADOS DE EXPERIÊNCIAS MÍSTICAS - OU RELIGIOSAS (???) - INDUZIDAS POR ALUCINÓGENOS? QUE PESSOAS ADULTAS QUEIRAM SE SUBMETER A ESSE TIPO DE EXPERIÊNCIA, TUDO BEM. MAS DAR CHÁ DO DAIME PARA BEBÊS E CRIANÇAS É UM CRIME.

  20. EDITH LIMA disse:

    Sinceros cumprimentos ao colunista Reinaldo Azevedo. Um artigo impecável, imparcial e, acima de tudo, lúcido, claro como a luz do bom senso. Vou levá-lo para discutir em sala- faço Direito - porque certamente isso vai ser a tônica da aula de D. Penal de hoje. Parabéns Reinaldo.
    Edith

  21. Tirésias disse:

    Não está certo: a maioria aqui vai julgando o criminoso a partir de suspeitar da vítima assassinada e dos hábitos culturais e religiosos da vítima.
    Não se busca mais a ficha do criminoso suas delinquências, vícios, antecedentes? Ele tem um histórico de insanidades e irresponsabilidades, com drogas, baladas. É mais certo que Cadu seja um oportunista que se infiltrou na seita porque queria mais loucura, dizendo pra família que era pra se curar das outras drogas, mas continuando a usar todas sem limite. Onde ele arrumou a arma? Alguém da família o cobrou para sair da seita porque achou que ele andava agora mais maluco do que antes, mas ele negava estar usando outras drogas?
    Flores ao Glauco.

  22. Flica disse:

    Matou e quer se passar por louco.
    De novo a mesma história.

    Louco ele não é senão jamais teria
    tentando fugir. Ele é doente e precisa
    de ajuda. Além de responder à justiça
    por seus atos. Claro. Porque as duas
    vítimas estão mortas.

    E sabe o que mais?
    Jesus sempre leva, Ele é ‘co-autor’ em
    assassinatos, corrupções, orações de propina. Dízimos
    enriquecedores. Nunca é culpa do homem, sempre
    de Deus ou do Diabo.

    O que mais me deixa furiosa é que
    o tal ‘chá’, que NEM DEVERIA LEVAR ESTE
    NOME INOFENCIVO foi liberado. E quem
    precisa de favela para buscar drogas?
    Basta bater na porta dos religiosos.

    E o tal parceiro? Querem mesmo que
    a opinião pública acredite nisto?

  23. Ex-petista disse:

    COMPLEMENTAÇÃO DO MEU COMENTÁRIO DAS 4:55 PM.

    Apesar de o mestre (é como eles chamam o dono do templo) ter-me oferecido o chá, EU NÃO TOMEI, pois não uso drogas.

    Quanto aos participantes, todos me pareceram gente normal. Havia músicos, advogados, médicos, jornalistas, servidores públicos. Gente nova, inclusive crianças, e gente velha. Todo mundo muito gentil e amigável. Até parecia o grupo jovem de que participei quando era católico.

    A propósito, nesse grupo jovem, um dos líderes se matou, naquela época mesmo, e nunca soubemos a causa. Digo isso pra mostrar que há desequilibrados em todos os lugares. Acho que o tal Cadu não pirou por causa do Daime.

  24. Laurie disse:

    Só os mal informados ignoram que esse Santo (que de santo não tem nada) DAIME é um alucinógino , provoca visões , vozes não identificadas , etc etc. Quem se mete com isso acaba se metendo em confusões, quanto a isso não resta a menor dúvida. Por ingenuidade, fraqueza, ignorância, total falta de conhecimento científico ou quaisquer outras razões que não cabe aqui mencionar , o cartunista e sua família foram vítimas daquela droga , que, como todas as drogas anula a justa percepção do que ocorre no mundo real.

  25. Vera L. disse:

    Lá no início dos anos 90 o filho de uma amiga muito querida, ela é espírita, começou a ter sintomas horríveis, eu até presenciei. Levava o filho no médico direto. Aí diagnosticaram depois de muito sofrimento que era doença do Pânico. Eu, com essa minha mania de assistir tudo quanto que é programa, vi na TV E um médico falando da doença e deu o endereço, era um lugar da saúde publica, falei com ela para procurar o lugar. Foi, ele fez o tratamento adequado e hoje é um Sr casado, um profissional da área da informática. Se Fosse atrás de crendices quem sabe não teria até morrido. Minha amiga é da religião espírita e foi ao médico.

  26. Capitão disse:

    E A ARMA?
    Algo que chama a atenção no assassinato de Glauco é que o rapaz (Carlos Eduardo) portava uma pistola de 15 tiros, coisa que todos nós sabemos, pode-se encontrar em qualquer esquina, ao alcance de todo cidadão. Após matar pai e filho esconde-se, rouba automóvel, tenta fugir para o Paraguai, troca tiros com a Polícia Federal na fronteira, fere agente e é preso. Santo Daime! Deve haver muito mais do que imaginamos nessa história toda. E o irmão dele diz a uma repórter (site Hojeemdia.com.br) que acha que o daime afetou o juízo do irmão. Nunca se sabe…

  27. rafael disse:

    o fantástico há uns 4 anos fez uma matéria muito interessante e esclarecedora sobre o santo daime, está disponível no youtube, é só pesquisar por “santo daime, fantástico”.

  28. Robert disse:

    Há um artigo do Olavo(clicar no link abaixo),que talvez lance
    http://www.olavodecarvalho.org/semana/100315dc.html
    alguma luz em caso tão estranho.O Olavo fala do efeito devastador para a cultura ocidental resultante da ascensão do pessoal infectado pela contracultura(quem viveu nas décadas de 60 e 70 sabe do que se trata) ao núcleo do poder.Pois bem, a trinca do inferno,Glauco,Angeli e Laerte,representa o ápice de influência da contracultura na grande imprensa.O que estes três caras fizeram não está no gibi em termos de devastação da moral e cultura profundas/tradicionais.Eles demoliram todos os valores, mas com uma certa graça(detesto os três,confesso).E quando os valores morais estão aos cacos…tudo é possível(Dostoievski), inclusive a incensação de pseudo religiões,como a do Santo Daime.Isto não explica tudo,mas traz algum esclarecimento sobre um fenômeno bem mais complexo do que parece à primeira vista.
    O que vimos até agora é só a ponta do iceberg.

  29. Vera L. disse:

    Reinaldo,
    Você foi no cerne da questão, ouvindo hoje um psiquiatra na CBN, no programa do Heródoto, ele falou com todas as letras que NÃO EXISTE estudo científico sobre se esses chás curam drogados, e coincide com o que você diz da doença do Pânico. Nas palavras dele, se alguém vai para um lugar desses e toma esses chás e tem tendência para doenças mentais como esquizofrenia, o chá por ser alucinógeco pode desencadear a doença. Reinando tudo isso é MUITO mais sério do que os “descolados” dizem. Com a mente se brinca. Ele falou de outras doenças que podem ser desencadeadas. Sobre a doença do Pânico sei de uma história que me orgulho de ter ajudado….continua….

  30. selma mello disse:

    Talvez seja o momento de desmistificar essa seita. A Revista Veja poderia ir mais fundo nesta questão, abrir a discussão e alertar a sociedade.
    ah tempo… não sei se ouvi direito…mas parece que a viúva no momento do crime, começou a rezar!O correto nao seria chamar a ambulância e a polícia?

  31. daimista disse:

    frequento o santo daime esporadicamente, devido a incompatibilidade de agenda (pois também sou uma pessoa NORMAL, trabalho, tenho vida social, família, amigos que não frequentam o daime etc). Nunca consumimos maconha nos trabalhos, se alguém o faz depois, isso é problema de cada um. não há apologia à qualquer tipo de droga.
    O ayahuasca não é consumido diariamente. Os trabalhos são realizados dias 15 e 30 de cada mês (trabalho de concentração) e também em datas comemorativas (natal, são joão, aniversário da igreja…). Por isso, atribuir o assassinato ao daime não é justo, como alguns que comentam aqui tem feito.

  32. Ex-petista disse:

    Há uns cinco anos, fui a um réveillon em um templo do Daime em Goiás. O salão onde se realizaram os rituais estava decorado com símbolos do cristianismo, kardecismo, xamanismo, budismo, hinduísmo, hare krishna, de religiões africanas… fora os que eu não consegui identificar. Valia tudo. O discurso predominante é o cristão, acho que devido à maioria dos participantes ter formação católica.

    Um detalhe: no gramado, fora da casa, vários participantes que vieram de fora pousavam (Emir Sader diria “posavam”, hehehehe) em barracas de camping. Nessa área, havia um forte cheiro de… maconha.

  33. Capitão disse:

    SEITA CRISTÃ ECUMÊNICA.
    A história de ligar o santo daime ao cristianismo continua a ser estimulado na Imprensa. Anexo trecho do noticiário do site Terra às 16h30:
    “Na casa de Glauco, eram realizados cultos da Igreja Céu de Maria, que segue a filosofia do Santo Daime, prática religiosa cristã, ecumênica, que repudia todas as formas de intolerância religiosa. Os seguidores tomam o chá conhecido por esse nome. Para eles, a bebida amplia a capacidade perceptiva, criativa, cognitiva e de discernimento, elevando a consciência do ser humano.”
    É tudo de bom, né? Acho que todo mundo ali sabe muito mais do que foi dito, mesmo a viúva. E a OAB, vai chamar o advogado às falas?

  34. Gabriel Moura disse:

    Essa “religião” é só usada como desculpa para o uso de drogas que é o principal objetivo desses “religiosos”.

  35. Rire disse:

    Realmente essa estória tá muito mal contada. Várias versões foram dadas e todas sem muitas explicações. Mas com certeza nossa policia é muito boa e se não houver “interesses” que bloqueiem as investigações a verdade vai aparecer..

  36. PITAGORAS disse:

    O assassino parece que tem grande experiencia em fugas, manuseio de armas, roubo de carros e comércio de drogas. Não é um alucinado que pensa ser Jesus Cristo.
    A tese de loucura do criminoso não corresponde aos seus atos após o crime.
    Os indícios claros são que há envolvimento da “igreja” e de seu patrono ou membros com algo grave relacionado com atividades ilícitas.

  37. Leitor da ÉPOCA e Admirador do Reinaldo Azevedo disse:

    Um mínimo de rigor dirá que afirmar que a Igreja Universal é uma “doutrina evangélica” é uma bobagem. Eles misturam elementos do catolicismo e do espiritismo. Infelizmente são chamados, de forma equivocada, de evangélicos

  38. jr disse:

    Que Deus tire toda a cegueira existencial

  39. silvia disse:

    Eu provei a ayahuasca há quase 20 anos, em pleno exercício da atividade jornalística — estava escrevendo a respeito e achei que o correto seria experimentar a coisa para poder emitir uma opinião. Não tive os enjoos e outros piripaques que em geral acometem os usuários, e confesso que a sensação pós-uso é muito agradável. No dia seguinte ao do ritual, fui conhecer a comunidade onde viviam os adeptos da seita, e minha impressão foi horrorosa. Conversei com mulheres grávidas, que me disseram consumir diariamente o chá, e encontrei crianças com larica (elas são iniciadas em todas as substâncias ritualísticas, se é você me entende, além de tomarem a ayahuasca desde o momento em que nascem).

  40. CRUMB disse:

    Reinaldo,
    É óbvio que a história não está completa. De tudo o que se publicou o motivo do crime está sendo ocultado. Não há nem hipóteses, a não ser que o jovem assassino é um louco que entre outras insanidades ameaçou se suicidar.
    Como esta seita era frequentada por desorientados alguém vai bater com a lingua nos dentes em pouco tempo.
    A grande imprensa está enrolando, tentando proteger talvez o próprio Glauco. Entrem no site da “igreja” ceu de maria e voces vaõ ver que é uma salada esotérica.

  41. change.the.world disse:

    Denúncias gravíssimas envolvendo uma das principais entidades vinculadas ao consumo do daime no Brasil, a qual estava vinculada a igreja Céu de Maria, fundada pelo chargista Glauco (assista o vídeo constante da página até o fim):

    http://www.ceunossasenhoradaconceicao.com.br/mensagens/livro.asp

  42. klaus disse:

    Acho que a agressividade tem mais a ver com o fato de que o seu primeiro texto sobre o assunto tinha um tom de “Glauco colheu o que plantou” – quer dizer, afirmando que, de certa forma, ele teve alguma parcela de responsabilidade no caso. Um louco o matou porque ele inventou de se meter com uma religião de loucos. Não sei se é isso o que você realmente pensa, mas eu fiquei com essa impressão.

  43. fontana disse:

    Tantas religiões , cada uma querendo ser dona da verdade. Será que , no caso das religiões , existem tantos deuses? Pois cada uma diz que seu deus é o verdadeiro. E essa torre de babel religiosa causa somente confusão entre pessoas.
    Deus é um. É DEUS. E DEUS não precisa de “mágicas” para despertar. DEUS JÁ É. O uso de qualquer mecanismo material para desperta DEUS, é simplesmente material e não espiritual.

  44. Quinta-feira disse:

    Daime como cura para vício em drogas? É o mesmo que usar uísque pra se curar de cachaça…

  45. Tirésias disse:

    Fala ´serio, gente. Tudo bem que muitos de nós sejam radicalmente contra o uso de drogas. Mas a culpa desse caso não pode recair sobre a seita do daime. Se fosse causado pelo “daime” este seria apenas mais um entre o incontáveis casos de crime que o daime provoca.
    A abordagem está errada: estão focando o daime e as loucuras do Glauco (que eram sadias) e esquecendo o perfil do criminoso:
    Um jovem de classe média débil mental típico dos jardins da zona oeste, do tipo que usa todos tipos de drogas, vai em raves, se detona com a complacência da família, experimenta de tudo, bebe também, leva uma vida de playboy livre e poderoso, tem até uma arma.


Seu nome:
Seu e-mail:
Mensagem:

 
Atenção: Sua mensagem será enviada à lista Voadores, onde após passar pela análise dos moderadores poderá ser entregue a todos os assinantes da lista além de permanecer disponível para consulta on-line.































Voltar Topo Enviar por e-mail Imprimir