25 de maro de 2017
                 
     
                         
Lzaro Freire, Acid0 e Lobo na MTV: Daime droga ou religio?
Psicanlise Transdisciplinar em SP com Lzaro Freire
Seja um colaborador ativo da Voadores!
Cursos e palestras da Voadores em sua cidade
Mensagem de Wagner Borges
Mais novidades

 
  

Glossrio

Anahata (snscrito: O Inviolvel)
Chakra Cardaco, cujo bija-mantra YAM.

Andr Luiz (espiritismo)
Pseudnimo do esprito de Carlos Chagas. Esprito curioso, com formao mdica e excelente reprter extra-fsico, foi importante e pioneiro descritor da realidade dos planos espirituais, em sua srie de livros Nosso Lar (Os Mensageiros, Obreiros da Vida Eterna, No Mundo Maior, etc).

A (Snscrito)
Elemento de composio, prefixo, usado antes de palavras em snscrito para negar o seu significado. Ex: Mrith: Morte, Amrith: Imortalidade, Jana: Conhecimento, Ajana: Ignorncia.

Advaita (sscrito)
Filosofia monista hindu, quase arreligiosa e/ou agnstica, onde no h separao entre criador e criatura, e a nica realidade Brahman (O Todo, o Absoluto).

gape (grego)
1) Nome dado, na tradio crist e mstica, a um estado de xtase similar ao samadhi e expanso da conscincia (sada parcial da conscincia para o plano mental). 2) Uma das trs palavras em grego para designar amor (eros para o carnal, romntico e/ou sexual; philos para o amigo e fraterno; e gape a mais usada em textos bblicos originais para o trascendental e/ou divino).

Aja (snscrito: Comando)
Chakra Frontal, cujo bija-mantra OM.

Amparador (projeciologia)
1) Esprito, geralmente desencarnado, que auxilia um projetor a sair do corpo. Pode ser um mentor espiritual, ou apenas algum especializado em projeo. 2) Por metfora, s vezes se usa amparador como sinnimo de mentor, protetor, anjo-guardio, esprito amigo, guia, professor espiritual, etc.

Ananda (snscrito)
Bem aventurana, felicidade, ou quem a traz. Ex: Yogananda: Aquele que traz a bem aventurana (ananda) atravs da Unio (Yoga) com o Todo.

Animismo (espiritismo)
Fenmenos ou energias oriundas do corpo fsico, ectoplasma, conscincia encarnada e/ou bio-energias, ou ato de manipul-las. De certo modo, um oposto mediunidade, que a operao atravs das energias espirituais ou de terceiros.

Apometria (espiritismo)
Tcnica esprita de tratamento espiritual baseada na projeo consciente de mdiuns defronte ao paciente.

Arundhati (snscrito)
O planeta vnus, a estrela da manh. Iniciaticamente, o nome de um dos aspectos da Deusa, quela que inspira boas aes. Excelente mantra de calma e tranquilidade, a ser vibrado no cardaco, com mos na frente do peito em postura de anjali.

Arjuna
Guerreiro e arqueiro, discpulo de Krishna e personagem do Baghavad Gita, a quem Krishna se revela e lembra da importncia do dharma. Conhecido iniciaticamente como Narananda (aquele que traz bem aventurana atravs do conhecimento).

ASAP (net-ingls: As Soon As Possible)
Assim que possvel.

Ashtar Sheran
Comandante das misses de auxlio espiritual extra-terrestres na Terra.

Assediador
Esprito menos esclarecido que faa qualquer tipo de assdio espiritual. Nem todos so obsessores, no sentido de terem ligaes antigas com o assediado. Assim como voc pode se encontrar com um assaltante ou bbado no corpo, sem ter ligaes anteriores com ele.

Atman (snscrito)
Esprito, Centelha Divina, Parte suprema da conscincia.

AUM
Outra transliterao para a slaba OM. A pronncia a mesma, porm alguns autores fazem diferenas entre AUM e OM muitas das quais s se aplicariam se snscrito fosse escrito em letras latinas, o que no o que ocorre. Entretanto, OM possui seu prprio caracter, enquanto possvel se escrever AUM em snscrito com caracteres do A e U porm, a juno de A e U em snscrito possui som de O.

Avatar
Encarnao divina na Terra, em maior ou menor grau. Esprito encarnado em plena conscincia de estar UNO com a divindade, a ponto de poder se oferecer como vrtice energtico para que seus devotos cheguem ao mesmo, e/ou ser expresso e caminho de Sua verdade. Potencialmente, todos poderiamos ser avatares, pois todos somos divinos. Entretanto, poucos possuem conscincia e domnio desta misso e ligao. Ex: Krishna, Jesus Cristo, Bbaji, Buda, Rama, RamaKrishna.

Bbaji
Cristo Csmico Indiano. Esprito que se materializa (ou aparece) h sculos, na regio do Himalaia, onde supostamente possui um corpo fsico intacto, plenamente conservado. Aparentemente, um avatar do nvel de Cristo, e empenhado nas mesmas misses. Foi o responsvel direto pela iniciao de alguns yogues famosos, e j fez diversas aparies pblicas. Associado a um avatar de Shiva, o terceiro aspecto da divindade.

Bija-Mantra (Snscrito: mantra semente)
Mantra resumido de rpido efeito de ao, normalmente monoou bisilbico e associado diretamente a um chakra, ptala ou divindade. So muito usados por projetores no yogues para ativar de forma imediata chakras especficos.

Bi-Locao (projeciologia avanada)
Nome dado ao rarssimo fenmeno onde a conscincia parece REALMENTE ocupar dois lugares ou corpos simultaneamente, sem clarividncia viajora. H raros relatos onde o corpo fsico pode continuar dirigindo veculos sem lembrana do fato, mesmo durante uma projeo lcida da conscincia. No confundir com "clarividncia viajora". No usar o sinnimo "desdobramento", para evitar confuses.

Bo-Yang (Tibet?)
Nome inicitico usado por Lao Ts aps sua sada da China em direo ndia / Tibet / Himalaias. um poderosssimo mantra projetivo e de clarividncia, a ser vibrado mentalmente no chakra frontal, no mesmo ritmo da respirao.

Brahma (snscrito)
Conceito de Deus Criador, personificado, adorvel. Equivalente hindu da figura do Pai, Cristo.

Brahmanrandra (snscrito: Portal de Brahman)
Doze ptalas centrais do chackra coronrio, diretamente ligadas s doze do chakra cardaco. atravs deste miolo do coronrio que a conscincia retorna ao plano espiritual, em sadas controladas, ou em subidas de kundalini.

BTW (net-ingls: By The Way)
Alis. Falando nisso. De passagem. Aproveitando.

Casces Astrais (teosofia)
Formas pensamento, em especial as que tem forma humanide.

Catalepsia Projetiva
Fenmeno projetivo bastante comum, no qual se "acorda" com sensao de estar paralizado, sem conseguir se mover ou gritar. Na verdade, uma projeo onde o corpo espiritual est coincidente ou muito prximo ao corpo fsico, o qual, evidentemente, no responde aos comandos, por j se estar no controle do corpo espiritual. Mantendo a calma, a catalepsia garantia de sada do corpo.

Chakras (snscrito: rodas)
Centros de Fora. Transformadores de energia sutil do plano espiritual para o fsico. Localizados no duplo etrico, interligados por um sistema de ndis (sistema circulatrio energtico), e ligados s glndulas endcrinas. Os chakras principais so em nmero de 7.

Chi (chins, taoismo)
Nome chins para a energia (grego). O mesmo que prana (snscrito) ou ki (japons).

Clariaudincia
Faculdade psquica de escutar sons no produzidos no fsico, ou de perceber manifestaes espirituais na forma de sons.

Clarividncia
Faculdade psquica, de relativamente fcil desenvolvimento, que permite ver imagens mentais ou ticas, e/ou espritos e/ou formas pensamentos, alm dos limites dimensionais humanos, no tempo presente.

Clarividncia Viajora
Fenmeno no qual o chakra ou para-chakra frontal envia uma espcie de sonda ou tele-periscpio, permitindo a captao de imagens distncia (estando projetado ou no). Note que a conscincia no se desloca. Este fenmeno frequentemente confundido (equivocadamente) com bilocao ou "desdobramento".

Centros de Fora (espiritismo)
O mesmo que chakras.

Consciex (projeciologia)
Conscincia Extra-Fsica. O mesmo que esprito desencarnado.

Conscin (projeciologia)
Conscincia Intra-Fsica. O mesmo que esprito encarnado.

Cordo de Cobre
Nome simblico dado por algumas escolas ao cordo de prata em sua regio mais prxima ao corpo fsico, onde o material anmico prximo faz com que o mesmo seja mais "espesso" e vibracionalmente denso, grosseiro. Na rea de atuao do "cordo de cobre", a lembrana e controle projetivos so menores.

Cordo de Ouro
Nome simblico dado suposta (e imaterial) ligao hper sutil entre o corpo espiritual e o corpo mental, em casos de projees para o plano mental (dupla projeo). uma analogia ao cordo de prata uma vez que no faz sentido se falar em tempo, espao e/ou forma ao se referir ao plano mental absoluto, onde se manifestam apenas conscincias unidas, e no mais corpos astrais.

Cordo de Prata
Ligao energtica entre o corpo fsico e o corpo espiritual projetado, garantindo o seu retorno. Transporta ectoplasma do corpo fsico e duplo etrico para o psicossoma, possibilitando tarefas de doao de fludos. Transmite sensaes e alertas de um corpo ao outro. No pode ser rompido em uma projeo, uma vez que no fsico, e sim, energtico, luminoso, interpenetrvel. S rompido na morte fsica (um parto para o mundo espiritual, que tambm deixa uma espcie de "umbigo" no ponto da antiga ligao, o qual vai se cicatrizando alguns dias aps a morte.

Delog (Tibet)
Keshara, Projetor, Voador.

Desdobramento
1) (espiritismo) Sinnimo equivocado para "projeo da conscincia". No um termo apropriado, uma vez que a conscincia no est se desdobrando numa projeo regular, j que no somos (nem nunca fomos) o corpo fsico que ficou. 2) (projeciologia avanada) Nome apropriado para o rarssimo fenmeno onde a conscincia REALMENTE se desdobra, sem clarividncia viajora, permitindo ao esprito tomar decises conscientes em duas situaes simultneas. O mesmo que bi-locao termo que deve ser preferencialmente usado em lugar de desdobramento, face ao equvoco da definio 1, acima. Ver "clarividncia viajora", e no confundir.

Dharma (snscrito)
Princpio do dever, de se cumprir o que nossa funo na existncia fsica. Se aplicado ao logno de uma vida, o mesmo que Proexis.

Dupla Projeo
Condio na qual o projetor, aps abandonar seu corpo fsico e se projetar no plano astral, tem uma segunda projeo dentro da projeo astral, abandonando seu corpo astral (psicossoma) "adormecido" e saindo para os planos mentais (fuso ao todo, atman, conscincia pura).

Duplo (teosofia)
1) Referncia abreviada ao duplo etrico. 2) Equivalente "espiritual" da Terra, na mesma dimenso do duplo etrico do corpo. 3) Duplicata espiritual, na mesma dimenso do duplo etrico, dos objetos encontrados no plano fsico.

Duplo Etrico (teosofia)
Corpo "eltrico" prximo ao fsico, nos limites do conhecido por "aura". Apesar de invisvel aos olhos fsicos, pertence Terra e ao corpo, se extingue com a morte do ltimo, carrega em si uma carga vital, e no sai junto com o psicossoma durante a projeo. nele que esto localizados os chakras, que tambm no se projetam (embora hajam para-chakras no corpo espiritual, imagem do chakras do duplo)

Dwidja (Egito)
Nome dado aos iniciados na tradio egpcia, os quais, por caractersticas do prprio processo de aprovao na iniciao, precisavam ter desenvolvido capacidades projetivas. um forte mantra projetivo, por recuperar e acessar esta egrgora das iniciaes com sadas do corpo.

Ectoplasma (parapsicologia)
Substncia de aspecto leitoso, com densidade intermediria entre o fsico e o espiritual. Pode ser manipulado e concentrado vibracionalmente para provocar efeitos no duplo, ou em maior concentrao, at mesmo no plano fsico. Projetores o transportam pelo cordo de prata, para assistncia extra-fsica. Pode ser manipulado por espritos, mdiuns ou projetores.

EEG
Eletroencefalograma mtodo de medio de frequncia de ondas cerebrais, as quais so importante fator na projeo. Projees normalmente ocorrem quando as ondas cerebrais caem para o padro alpha, ou seja, abaixo de 24 ciclos por segundo.

EFC
Experincia Fora do Corpo. OBE. Viagem Astral.

Ego
1) Em espiritualismo, especialmente no hinduismo, este conceito costuma ser usado em sua acepo negativa, ou seja, o egoismo, vaidade, orgulho e excesso de personalidade que so entraves evoluo espiritual. 2) Ainda em espiritualismo, especiamente em vedanta, tudo aquilo que nos faz dualistas, separados do todo. O que nos impede de compreendermos e sentirmos que "somos todos um s". 3) Em psicologia, evidentemente o termo pode ter vrias conotaes positivas, incluindo os estados de amor-prprio necessrios ao nosso estgio evolutivo atual.

Egrgora (rosa crucianismo)
Atmosfera espiritual. Energias, faixa sintonizvel e "astral" mdio referentes a uma pessoa, um casal, um local, uma instituio, um ambiente, uma lista, uma cidade, um pas, etc.

Epfise
Glndula pineal (ver).

EQM
Experincia de Quase Morte. Near Death Experience. NDE. Caso particular e intenso de projeo que muitos pacientes com morte revertida ou coma narram, normalmente relatando tneis de luz, prorrogao da misso terrena, algum os chamando, algum pedindo para voltar, viso do corpo enfermo ou adormecido / morto, etc.

Esplnico (ingls: spleen = bao)
Chakra secundrio ou sub-chakra localizado na altura do bao (lado esquerdo do estmago). Na verdade controlado pelo chakra principal manipura (umbilica). tido equivocadamente, por algumas escolas teosficas e espritas, como se fosse um dos chakras principais. Isto se deve represso sexual ocidental do pesquisador LeadBeater, um reverendo que documentou os chakras no sculo XIX, mas preferiu omitir o sexual (swadsthana) e substitu-lo por um "menos perigoso" de ser desenvolvido (em sua tica moralista religiosa). A funo do sub-chakra esplncio ajudar na captao de prana uma vez que ocidentais fazem pouco isto atravs da respirao.

Estado Vibracional
1) Sintoma projetivo onde se sente o corpo vibrando, e ondas percorrendo o piscossoma. 2) Exerccio para induzir o EV dentro ou fora do corpo. 3) Tcnica de defesa extra-fsica utilizando o EV.

EV
Estado Vibracional

Evangelho no Lar (espiritismo)
Prtica semanal energtica, regular, sempre no mesmo horrio e contando com a presena de amparadores cientes da para-agenta, a ser feita na residncia, e de crucial importncia na harmonizao do ambiente. Pode ser feito mesmo em bases no crists e/ou no envanglicas.

Expanso da Conscincia
Experincia de fuso ao TODO, galxias, mega-compreenso, mesmo estando acordado. AProximadamente o mesmo que samadhi, satori, nirvana, gape, viagem ao plano mental, experincia mstica, xtase espiritual.

Formas-Pensamento
Bonecos, robs, smbolos ou amebas astrais criados a partir do pensamento de encarnados e desencarnados. No possuem conscincia, mas frequentemente so confundidos com espritos. Dissolvveis pelo prana da atmosfera. O mesmo que casces astrais.

Garuda
Ser da cosmogonia hindu, veculo de Vishnu (segundo aspecto). em parte homem, parte guia. Por trazer Vishnu a divindade que normalmente mais envia seus avatares do cu para a Terra, no raro em misses de apoio e auxlio ao devoto, o protetor direto dos projetores astrais. Projetores tambm so, por metfora, meio homem, meio pssaro, voando da Terra para os cus espirituais. Em misses projetivas, pode se manifestar diretamente ao keshara (voador, projetor), mesmo sem carregar Vishnu, pelo fato de projeo e vos espirituais serem sua especializao e reas de atuao direta.

GNG
Gnero, Nmero e Grau. Usado em expresses em que se concorda com o interlocutor.

Hinduismo
Ou Sanathana Dharma, um conjunto de dezenas ou centenas de filosofias, religies, tradies, sistemas e escolas espirituais, milenares, algumas bastante devocionais, outras quase beirando o agnosticismo e/ou o ateismo, em sua grande maioria oriunda da ndia, e impressionantemente altamente coerentes entre si, mesmo com tantas derivaes.

Kalki
Dcimo avtar (reencarnao) de Vishnu (Deus Amor, Segundo Aspecto da Trindade, equivalente ao Filho Cristo). esperado pelos hindus, da mesma forma que Cristo esperado pelos cristos, e Hrus pelos egpcios - na verdade intuindo a mesma chegada, no milnio, de avatares da fora divina de transformao do planeta. um poderoso mantra de defesa, a ser vibrado no cardaco.

Krishna
Encarnao de Vishnu (Deus amor, segunda pessoa, Filho do Cristianismo, sis do Egito), foi um vaqueiro (govinda, gopala) que viveu na ndia h 5500 anos atrs, possuindo histria e mensagem bastante similar de Cristo embora um pouco distorcida pelas religies feitas para o mesmo, assim como ocorrido no Cristianismo. Assim como Cristo, foi perseguido na infncia, quase assassinado pelo rei junto com todos outros primognitos, anunciou ser o caminho ao Pai (brahman), foi morto de forma violenta e anunciou sua volta. Porm, 3000 anos antes.

Hierofante (Egito)
O sacerdote que passava conhecimentos e realizava as iniciaes, nos rituais egpcios.

Holochacra (projeciologia)
O mesmo que duplo etrico.

Hrus (Egito)
Divindade com cabea de falco, Filho de sis e Osris. Associado a tarefas de renovao terrena e auxlio, especialmente no umbral. O portador da luz nas trevas, terceira pessoa da trindade divina, o equivalente na cosmogonia egpcia ao Esprito Santo Cristo, ou ao Shiva Hindu, ou ao aspecto mutvel. um poderosssimo mantra de defesa, o qual s pode ser usado de realmente necessrio.

Ida
Ndi (canal espiritual) esquerdo de descida do prana, do lado do corao. Qualidades: Frio, introspectivo, feminino, yin. Vai da narina esquerda ao chakra bsico.

IMHO (net-ingls: Im My Humble Opinion)
Em minha humilde opinio.

Karma (snscrito: ao)
Lei de causa e efeito, aplicvel tambm a bons atos e suas repercursses. Karma apenas ao, pois a reao j est embutida em qualquer ao, sendo parte indissocivel da mesma. Espiritualmente falando, ao e reao pleonasmo, pois no h como se escapar da consequencia, por ela j estar na prpria causa.

Keshara (snscrito)
Projetor, Delog, Voador. Na tradio hinduista, aquele que tem o poder de viajar nos planos espirituais.

Ki (japons)
O mesmo que chi. Energia vital.

Kundalini (snscrito: enroscada)
Energia da Terra, potencialmente divina, que adormece no chakra bsico, podendo ser ativada por determinados processos. A ativao da mesma libera poderes para-normais, e traz a conscincia de volta cincia de ser Deus e estar em Deus, em um xtase denominado samadhi.

Kutashta
Literalmente, o ponto mais alto. Ponto entre as sobrancelhas de onde partem os ndis Ida e Pingala, sendo o ponto mais alto onde h processamento de prana. Imediatamente abaixo do frontal, nele, e no no chakra acima, onde costumam ser feitas algumas visualizaes de prticas esotricas normalmente associadas indevidamente ao aja.

Lalana
Sistema composto por trs chakras do cu da boca (comumente referenciados como sendo um s) os quais controlam, dentre outras coisas, o fluxo do prana e kundalini pelos nadis ida, pingala e sushumna.

Lao-Ts
Sbio que popularizou a mensagem taoista no mundo, ao escrever rapidamente o Tao Te King em ocasio que deixava a China, de modo a que o conhecimento espiritual do Tao no sasse do pas junto com o sbio, conforme lhe era solicitado. O taoismo j existia muito antes de Lao Ts. Mas foi este quem o trouxe ao pblico o segredo da sabedoria, fora, no-violncia e no-ao dos sbios.

Magia (Egito)
Por definio, toda e qualquer "arte e/ou cincia de manipular o intangvel para provocar efeitos no visvel". (Hermes de Trimegisto). Conceito amplo e bem mal compreendido, por incorporar em sua abrangncia atos distintos como: Rituais, Passes, Sorrir, Amar, Bruxarias, Fazer Amor, Poder do Pensamento, Provocar desejo, Despachos, Simpatias, etc.

Maha (snscrito: grande)
Elemento de composio, normalmente usado antes de palavras em snscrito. Ex: Mahatma (Maha Atman, Grande Alma).

Manipura (snscrito: Cidade da Joia)
Chakra Umbilical, cujo bija-mantra RAM.

Mantra (snscrito: Controle da Mente)
Slabas ou frases especiais as quais, por seu uso milenar aliado a energias positivas, tenham uma particular capacidade de sintonizar as atmosferas espirituais (egrgoras) correspondentes. Podem ser usados para defesa, sadas do corpo, evocaes, etc.

Maya (Snscrito: Iluso, ou Feito De)
Uma verso hinduista do filme Matrix, ou o contrrio. Iluso sensorial que envolve o esprito e o captura pelos sentidos, dando a falsa impresso de que vivemos uma realidade "palpvel".

Monismo
Conjunto de filosofias e crenas que no desassociam o criador da criatura, o fsico do espacial, o bem do mal, compreendendo "Deus" em tudo e em todos, e que Somos Todos Um S Esprito. So monistas, dentre outros, o Vedanta, o Taoismo, o Zen, e at mesmo algumas vertentes da bruxaria.

Muladhara
Chakra bsico, na raiz da coluna, depositrio da kundalini adormecida, cujo bija-mantra LAM.

Multiversos
Universos paralelos, com realidades alternativas para o aprendizado do esprito. Para compreend-los, necessrio estar cientes de que todos somos UM s esprito, e de que Tempo e Espao na verdade no existem.

Nadananda
Sons sutis, portadores de bem aventurana, que so ouvidos internamente no despertar de cada chakra. Por processo inverso, tcnica antiga vibrar o nadananda equivalente ao chakra, mentalmente, para que a repercursso energtica do som o faa despertar.

Ndis (Snscrito)
Sistema circulatrio energtico, na frequncia do duplo etrico. Um verdadeiro para-sistema nervoso, interligando chakras e rgos. Os principais ndis (veias, artrias espirituais) so as ligadas ao despertar da kundalini: Ida e Pingala (para descida do prana) e Sushumna (para subida da energia kundalnica ativada).

Namaste (snscrito)
Tradicional saudao hindu, que afirma que a divindade que h em mim sada (e portanto reconhece e respeita) a divindade que h em voc. Normalmente acompanhada pelo gesto de mos postadas na altura do peito (anjali).

Narananda (Snscrito)
Nome inicitico secreto de Arjuna. Por metfora, narananda referncia a todo aquele que trabalha com divulgao de conhecimento espiritual, trazendo bem aventurana com isto.

NDE
Near Death Experience. Experincia de Quase Morte. EQM. Caso particular e intenso de projeo que muitos pacientes com morte revertida ou coma narram, normalmente relatando tneis de luz, prorrogao da misso terrena, algum os chamando, algum pedindo para voltar, viso do corpo enfermo ou adormecido / morto, etc.

Nosso Lar (espiritismo)
Cidade espiritual de assistncia e apoio, construido dentro do Umbral, em uma regio correspondente no fsico s coordenadas da cidade do Rio de Janeiro. Bastante relatada nas obras de Andr Luiz, por ser a cidade que o d acolhida, ao ser retirado do Umbral.

OBE (ingls)
Out of Body Experience. Experincia fora do corpo. Projeo Astral.

Obsessor (espiritismo)
Caso particular de assediador que tenha ntimo vnculo com o assediado, s vezes o acompanhando por anos ou vidas, em intrincadas tramas de incmodo ou perseguio mtua.

Om (Snscrito)
1) Som universal, palavra divina (shabda) da criao, pronunciado por Brahman para fazer o mundo de Maya (iluso), assim como o Verbo Fiat Luz dos cristos, ou a palavra de Toth criando o mundo para os egpcios. 2) Bija-Mantra do Chakra Frontal. 3) A principal slaba do alfabeto snscrito, d carter divino s palavras com as quais se une. Ex: Jyothir ou Prakash (luz, luminosidade, brilho tico). Om Jyothir ou Om Prakash (luz divina, luz espiritual, j em seu sentido transcendental).

OOBE (ingls)
Out Of Body Experience. Experincia fora do corpo. Projeo Astral.

Padme (snscrito)
1) Flor de ltus, uma espcie de vitria rgia hindu, com raizes na lama densa (fsico), atravessando a gua de densidade intermediria (duplo, aura) e desembocando em flor apontada para o ar sutil (espiritual), formando petlas (raios e ndis) e possuindo formato de cone. 2) Por metfora, os chakras (em particular um sub-chakra do cardaco).

Para
Alm, transcendente. Muito usado para designar similares espirituais do que existe no fsico. Ex: Cabea no corpo fsico, Para-Cabea no corpo espiritual. Clarividncia ao enxergar do corpo fsico as dimenses espirituais, Para-Clarividncia ao enxergar, projetado, dimenses mais sutis do que aquela em que o psicossoma se encontra.

Para-duplo
Corpo espiritual ou veculo de manifestao pouco documentado mas constatvel por projetores que possuem para-mediunidade, o qual est para o corpo astral assim como o duplo etrico est para o corpo fsico. neste para-duplo que se localizam os para-chakras observados vibrando quando estamos projetados uma vez que os chakras normais, localizados no duplo etrico, fsico, pertencente ao corpo e aura, evidentemente no sairam junto com o psicossoma durante a projeo.

Perodo Intermissivo
Trecho mais ou menos longo entre uma vida e outra, onde o esprito reencarnante se prepara para sua vinda. Em casos assistidos e encarnaes programadas, normalmente ocupado parcialmente com cursos reencarnatrios ou de temas espirituais, bem como atividades de auxlio.

Perisprito (Espiritismo)
O mesmo que psicossoma.

Pineal
Glndula endcrina tambm conhecida por epfise, produtora do hormnio melatonina. Ainda pouco conhecida pela cincia, o rgo mais bem protegido de todo o corpo humano (para ating-la seria necessrio atravessar o crebro). Intimamente ligada ao chakra coronrio (sahashara, da espiritualidade). Tem ligaes com tudo que cclico ou temporizado no corpo, em curto ou longo prazo incluindo despertar das fases sexuais e puberdade, mas tambm horrios de sono aps algum tempo sem exposio luz solar e prana. Dissecaes de cadveres de yogues demonstram que esta glndula inmeras vezes maior em que pratica exerccios espirituais elevados, por um mecanismo ainda desconhecido da medicina.

Pingala
Ndi (canal espiritual) direito de descida do prana. Qualidades: Quente, extrovertido, masculino, yang. Vai da narina direita ao chakra bsico.

Plano Mental
Realidade aps os planos espirituais, alm de tempo e espao, onde se vive a fuso com o Todo. So no plano mental as experincias de samadhi, expanses da conscincia, etc.

Plexos
Concentraes ou feixes do sistema nervoso do fsico. Grandes plexos do corpo so associados a chakras. No confundir plexos com chakras. O plexo solar, na altura do estmago, por exemplo, conhecido da medicina terrena. J o chakra que se associa ao mesmo, no, pois est no duplo etrico, e no no fsico, alm do alcance dos equipamentos atuais embora possa ser constatado facilmente pela clarividncia.

Prana (snscrito)
Genericamente, energia espiritual, dividida em sub-pranas. Na prtica do dia a dia, o termo comumente usado para designar a energia espiritual enviada pelo sol, resultado de milhes de processos de ativaes kundalnicas e fuses csmicas (fsicas e espirituais), a qual tem o poder de dissolver formas-pensamento e ativar a kundalini. O prana costuma ser captado pela respirao (ou pelo sub-chakra esplnico). visto pelos clarividentes como flocos dourados brilhantes que flutuam na atmosfera, em todas as direes, especialmente durante o dia.

Proxis (projeciologia)
Programao Existencial. Suposta misso espiritual para a encarnao atual. O dharma de uma vida.

Projeo Astral
Despreendimento que o corpo astral faz do corpo fsico, especialmente em perodos de baixo metabolismo, baixas ondas cerebrais e/ou alta atividade consciencial. Fenmeno natural humano e de mamferos, o qual independe de dogmas, religies e crenas. Atravs da projeo, realidades extra-fsicas e at mesmo espirituais podem ser percebidas, abrindo um largo campo de estudos. Fenmeno anmico, bioenergtico, que pode ser desenvolivdo - e no medinico como alguns pensam.

Projeciologia
Neo-cincia proposta pelo pesquisador brasileiro Waldo Vieira para estudar os fenmenos das sadas do corpo. Posteriormente, sofreu vrias derivaes, algumas mais cientficas, outras mais neologistas, outras mais espirituais.

Psicossoma (projeciologia)
Corpo Astral, Corpo Espiritual, Perisprito

Ramatis
Nome prprio derivado de Rama e Sita, casal protagonista do pico hindu O Ramaiana. Esprito encarregado da misso de trazer o conhecimento oriental para o ocidente, especialmente para o Brasil. Membro da Fraternidade Espiritual da Cruz e Do Tringulo, que difunde cristianismo e espiritismo na ndia, e hinduismo no Brasil. Coordenador direto de todos os trabalhadores encarnados e desencarnados que atuam na rea da divulgao / traduo do conhecimento hinduista / espiritualista no Brasil.

Ruidos Intra-Cranianos
Sons internos e estalos, dentro da cabea, percebidos ocasionalmente por quem faz prticas projetivas e/ou espirituais. Intimamente ligados ao desenvolvimento da glndula pineal e/ou do chakra coronrio. So seguros, uma vez que o desenvolvimento desta glndula ocorre naturalmente e por meio indireto e energtico.

Sahashara (snscrito)
Chakra coronrio. Sem bija mantra ativador, por ser sutil demais.

Samadhi
Expanso da Conscincia, Nirvana, Satori, xtase Mstico, gape. xtase no qual a conscincia se projeta no plano mental, alm do espiritual, se fundindo ao Todo e a Deus, tornando-se temporariamente una com todo o universo e galxias, tendo a sensao de ter todas as respostas (mesmo que no consiga process-las no crebro fsico ao retornar), e liberando-se do conceito de tempo, espao e forma. O samadhi costuma ser o nome dado quando a expanso da conscincia obtida por tcnicas yogues de subida de kundalini.

Satori (budismo)
nome dado, nas tradies budistas, a experincias similares ao samadhi e expanso da conscincia.

Segunda Morte
Condio na qual o esprito desencarnado deixa de precisar at mesmo das experincias do plano astral (ainda ligadas a formas sutis e ectoplasmas), abandonando seu corpo astral, desligando o "cordo de ouro" e passando a "viver" no plano mental, como conscincia pura, co-creador, uno ao todo, alm do tempo, espao e formas.

Seriex (projeciologia)
Srie Existencial. Cada uma de nossas muitas encarnaes. Reencarnao.

Shakti (snscrito)
1) Nome da consorte do Deus Vishnu, representada por uma bela mulher com moedas na mo, e senhora da generosidade e abundncia. 2) Por metfora, a divindade feminina em geral 3) No tantra, por metfora, o nome pela qual chamada a mulher na relao, uma vez que cada fuso sexual e energtica uma reunio do deus com a deusa. 4) Em kundalini yoga, chama-se de shakti prpria energia da kundalini j desperta, ou seja, quando ativada, ascendendo, uma vez que a mesma passa a apresentar caractersticas divinas e inteligentes.

Shankara
Yogue importantssimo da idade mdia, codificador do Vedanta, o qual recompila os uppanishadis (parte final dos Vedas) e afirma que tudo iluso (Maya), e s Brahman (O Todo) real. Responsvel pelo monismo hindu, e pela divulgao do conceito de que somos todos um s. Autor do clebre livro Viveka Shuda Mani (A Sumprema Jia do Discernimento).

Sol Espiritual
Nome metafrico dado para o ponto energtico localizada na regio do plexo solar, o qual est bem no centro das energias oriundas do chakra manipura (umbilical), e de seus subchakras do fgado, estmago e bao. Como ponto central do tringulo dos chakras de fogo acima, confundido por sensitivos como se fosse um "chakra". visto apresentando uma energia amarela intensa, e nele onde a maioria dos observadores consegue ver a ligao do cordo de prata a qual na verdade se d at a nuca, mas mais densa e visvel na altura do plexo solar.

Sushumna
Duto energtico (nadi) de subida da kundalini, se ativada. Vai do chakra bsico (muladhara) ao coronrio (sahashara), passando por todos os chakras principais.

Swadsthana
Chakra sexual, cujo bija-mantra VAM.

Tao (taoismo)
Conceito Chins, similar ao Brahman do Vedanta, que abrange O TODO, bem e mal, Yin e Yang. Simplesmente o Absoluto, a divindade mor no personificvel, no idolatrvel, inerente e interpenetrante. O Tao est em tudo, e sua manifesta energtica o Chi, polarizado em Yin e Yang. No confundir Tao e Brahman com os conceitos ocidentais (personificados, apenas o Bem, o superior) de divindade. Tao e Brahman so conceitos monistas, por no desassociarem criador de criatura.

Tela Bdica
Camada protetora que impede que as energias grosseiras dos chakras (localizados no duplo etrico, que se desintegra com a morte fsica) NO passem para os sutis para-chakras (localizados no corpo espiritual, que permanece aps a morte). A funo da tela bdica permitir a passagem de energia dos para-chakras para os chakras, mas nunca o contrrio. Rompimentos na mesma (causados por ex por abortos, uso de drogas, alcoolismo, despertar forado de kundalini, uso de bio-energias de forma violenta em magia trevosa sexual, etc) permitem que energias grosseiras afetem os para-chakras, e o impacto seja levado aps a morte, afetando a nova moldagem de chakras em novo corpo reencarnante, e explicando bio-energeticamente a maioria dos casos atribuidos ao "karma".

Teneps (projeciologia)
Tcnicas Energticas Pessoais. Uma forma metdica e sistematizada de exteriorizao de bio-energias, como os passes no escuro, usualmente na inteno de desencarnados. Equivalente projeciolgico dos passes, reiki, vibraes, Joh-rey, etc.

Umbral (espiritismo)
Regio vibracionalmente densa, prxima s cercanias espirituais da Terra, formada pela somatria de bilhes de formas pensamentos de encarnados e de desencarnados em situaes mais lastimveis. O acmulo ectoplsmico to denso a ponto de configurar um "lugar", palpvel (espiritualmente) comumente confundido com os Purgatrios e/ou Infernos de algumas religies. Bem relatado na obra Inferno de Dante, ou na esprita Nosso Lar, ou mesmo nos relatos de Lzaro nos Evangelhos Cristos.

Vedanta
Uma das escolas da ndia, prega que tudo iluso, e apenas Brahman real. Compreende a divindade em tudo e todos, e apregoa que Todos Somos Um.

Viagem Astral
O mesmo que projeo astral, viagem espiritual, viagem da alma, "desdobramento" (sic), projeo do corpo psquico, sada do corpo, experincia fora do corpo (EFC), Out Of Body Experience (OOBE).

Vishuda (snscrito: O Purificador)
Chakra Larngeo, cujo bija-mantra HAM.

Vivekananda
Primeiro yogue a viver no ocidente (EUA), foi o primeiro discpulo direto do grande Ramakrishna, e representante com louvor da ndia no Congresso de Religies do sculo XIX, e responsvel direto pela aceitao do Ioga e Vedanta at mesmo no protestante pas dos EUA, e dali em todo Ocidente, sendo o pioneiro do entendimento religioso entre todos os povos do planeta. Deixou obras importantssimas, antes de morrer aos 39 anos de idade, em meados do sculo XX. Seu trabalho de entendimento e divulgao do oriente no ocidente foi indiretamente continuado por Yogananda, cerca de 30 anos depois.

Voador (figurativo)
Projetor astral, delog, keshara.

Wicca (corruptela de witch)
religio moderna, fundada no sculo XX, baseada em rituais pagos e da bruxaria tradicional, com forte influncia celta e at mesmo do paganismo greco romano. No confundir wicca, que uma religio moderna da bruxaria, um sibconjunto, com a bruxaria em si.

Yang (taoismo)
Manifestao masculina, quente, exteriorizada ou diurna do Tao e do Chi.

Yin (taoismo)
Manifestao feminina, fria, interiorizada ou noturna do Tao e do Chi.

Yoga (snscrito: unio)
Cincia prtica e exata codificada por Patanjali, de modo que fosse possvel ao homem comum praticar a espiritualidade, vivenci-la, por posturas, gestos, respiraes, sons, mantras, smbolos, energias, etc de modo que o caminho espiritual fosse trilhvel de forma independente de dogmas e crenas, sem a dependncia dos sacerdotes brahmanes.

Yogananda
Importante Yogue do sculo XX, discpulo de Sri Yukteswar e fundador da Self Realization Fellowship. Veio da ndia para os EUA, representando a ndia no Congresso Mundial de Religies com gigantesca projeo devido sua mensagem ecumnica e de entendimento e compatibilidade entre todas as crenas repetindo o feito de Vivekananda no sculo anterior. Por ter vivido no Ocidente, e escrito diretamente em Ingls, foi ao lado de Vivekananda o responsvel direto pela popularizao e aceitao do Yoga e Hinduismo no Ocidente. Autor do clssico "Autobiografia de um Iogue".


Voltar Topo


Este site gentilmente hospedado pela: